domingo, maio 20, 2007

Um tal de aprisionamento e outras reflexões

Dizem que nós,lusófonos,estamos "aprisionados" e buscando a liberdade.Será?


Para quem não sabe e até mesmo para aqueles que têm certeza,eu sou completamente apaixonada por literatura!!!É uma pena que,algumas pessoas que cursam Letras,infelizmente,ainda não descobriram(e nem mesmo descobrirão) o prazer de ler.E não apenas ler,mas pensar a literatura,pensar o seu processo...Enfim,chega de palavras bonitas...
Mais uma vez,para quem não sabe,eu freqüento desde abril um curso de extensão,cujo nome é "Literatura e as demais artes",na Faculdade de Letras da UFRJ(Universidade Federal do Rio de Janeiro),nas tardes de quinta!!!Apesar da falta de organização e entendimento no que se refere às salas(pois nunca se sabe em qual sala serão as aulas),eu estou me divertindo muito por lá,além de aprender coisas novas!!
Só que,na aula do dia 10 de maio,saí de lá me perguntando sobre muitas coisas que,para mim,não faziam sentido.Venho,por meio desta crônica,dividir esse pensamentos com vocês,visitantes do blog!
No dia 10 de maio,um professor de literatura portuguesa da UERJ(cujo nome,por questões éticas,não revelarei) deu uma aula sobre "literatura e cinema";e como eu também sou fã da sétima arte,adorei o filme que ele exibiu,entitulado "Língua-Vidas em Português",que chegou a ser exibido nos cinemas brasileiros,se não me engano,em 2004/05,onde aparecem os escritores João Ubaldo Ribeiro,o lusitano José Saramago e o moçambicano Mia Couto,além do cantor e compositor Martinho da Vila e pessoas comuns(anônimas) dos países lusófonos.Não preciso nem dizer que adorei o filme,que,na época de lançamento,não pude assistir.Ele aborda questões sócio-político-culturais dos países de língua portuguesa.Para quem não viu ainda,essa é uma boa pedida!!!Mas...chega de rodeios!!!!Vamos ao que interessa aqui!Quando o filme acabou,o professor levantou algumas questões um tanto quanto "não-inteligíveis" para meu pequeno cérebro,como,por exemplo:
  • que os povos lusófonos não conseguiram criar uma religião própria(somos católicos,protestantes,espíritas,islâmicos,judeus,budistas,etc) e que,por isso,somos DEVOTOS DA LÍNGUA PORTUGUESA.COMO ASSIM???!!!NÃO SERIA...UM TANTO QUANTO...ROMÂNTICO,ESSE PAPO???
  • Eu me perguntei:se somos DEVOTOS DA LÍNGUA PORTUGUESA,por quê há tanta baixa auto-estima lingüística(mas precisamente,por parte dos brasileiros),em relação ao conhecimento da língua?(comentários do tipo "não sei português","português é difícil","não sei português,que dirá inglês").
  • E se somos DEVOTOS DA LÍNGUA PORTUGUESA,por quê aceitamos,tal qual a servos,a invasão lingüística norte-americana,com "aberrações"como "delivery","drive-through",entre outros?
Depois de fazer várias "associações" em minha mente,o professor veio,agora,com outra bomba:a de que nós,lusófonos,sentimos uma espécie de "aprisionamento",uma tentativa eterna pela busca por liberdade.(Não entendi!!!)E depois,ele disse que esse "aprisionamento" se reflete no fato de os lusófonos imigrarem para outros países(principalmente EUA e Portugal),em busca de uma vida melhor(até aí,tudo bem).Mas,cá pra nós:

  • Até parece que só os lusófonos saem de seus países para tentarem uma vida melhor.O FLUXO IMIGRATÓRIO É UNIVERSAL!!!E nada tem a ver com a língua que a pessoa fala.É inerente ao ser humano,desde os primórdios,sair de um lugar para outro,buscando melhores condições de vida.
  • Será que a liberdade " a que tanto os lusófonos buscam",só será encontrada indo para os EUA?E quê liberdade é essa?Quê "aprisionamento" é esse???Sinceramente,EU NÃO SEI!!!E VOCÊS?SABERIAM ME RESPONDER???
  • Se for o caso do Brasil,esse tal de "aprisionamento" até poderia ser lingüístico,visto que estamos cercados de hispano-falantes.Mas,QUEM DISSE QUE ISSO É,DE FATO,UM APRISIONAMENTO??Os cursos de espanhol estão aí para isso.Nós temos a internet...AÍ EU CHEGO À CONCLUSÃO DE QUE TODA ESSA DISCUSSÃO É MUITO VAZIA,A NÃO SER QUE MEU CÉREBRO SEJA MUITO PEQUENO!!!!

PARA CONCLUIR,GOSTARIA QUE VOCÊS RESPONDESSEM ÀS PERGUNTAS ACIMA!!E VOU FAZER-LHES MAIS UMA:VOCÊS,LUSÓFONOS,SE SENTEM APRISIONADOS???CONTEM-ME NOS COMENTÁRIOS!!!BEIJOS!!!

PS:EU NÃO ME SINTO APRISIONADA NEM UM POUQUINHO!!!

5 comentários:

Beatriz Fontes disse...

Olá! Já comentei esse filme "Língua" lá no meu blog. Depois dê uma olhada no que escrevi: http://cafe-zurrapa.blogspot.com/2005/06/e-as-legendas-no-me-deixam-em-paz.html
:-)

Engraçado, esse lance da religião... Realmente, a lusofonia não está associada a uma religião única. Mas, se você olhar bem, é uma das línguas que mais sofreu influência católica. Repare no nome dos nossos dias da semana, por exemplo. Em todas as outras línguas, inclusive as românicas, continuam a "louvar" os deuses pagãos... :-)

Mas eu não acho que a gente simplesmente aceite a tal invasão lingüística norte-americana, não. Pelo menos, não de braços abertos... Esse tipo de influência é comum. Acontece o tempo todo. Absorvemos algum vocabulário estrangeiro, mas a gramática mesmo (que é o que dá a cara da língua) continua lá firme e forte. E, além disso, muitas palavras são aportuguesadas. Se não na grafia, na pronúncia mesmo. É muito divertido isso. :-P

Quanto ao "aprisionamento"... Não sei bem o contexto em que seu professor falou disso, porém, geralmente esse termo vem associado à época das navegações etc. Enfim, sei lá. Já deixei essas teorizações literárias de lado há tanto tempo... Passa da meia-noite, acho que vou é dormir.

Beijim!

José de Alencar disse...

Não sou lusófono (minha fonia não é lusa), sou brasilófono.

"...por quê há tanta baixa auto-estima lingüística(mas precisamente,por parte dos brasileiros),em relação ao conhecimento da língua?..."

Por causa de professores ignorantes que usam termos como "lusófonos" em suas aulas, usando regras de um país estrangeiro (Portugal) que não corresponde a língua brasileira falada nas ruas.

"...comentários do tipo "não sei português"..."

Eu não sei português e nem quero saber, acho uma das língua mais horrendas do mundo. Eu gosto mesmo é da minha linda língua brasileira.

Pathy disse...

HEi... vc tá sumida...
dê notícias!!!

Bjinhos

Moura ao Luar disse...

Para mim a leitura é um prazer

Priscila Lopes disse...

Seu post é interessante. A proposta também. Creio que o aprisionamento de que seu professor estava falando vai além do plano físico de viajar para outro país. E concordo contigo: não apenas os lusófonos. Já estava na história de vocês, claro, o interesse pela descoberta. Mas o aprisionamento é sentimento compartilhado por escritores do mundo inteiro: seja de "estilo", gênero, ou espaço físico que pareça nos limitar.

Eu os convido a conhecer o blog Cinco Espinhos, no qual eu e minha colega Aline Gallina nos propomos a fazer "crítica" literária em forma de literatura.

Toda semana, também, garimpamos a internet à procura do texto que valha a pena de algum autor "desconhecido".

Mais informações no próprio site:
http://cincoespinhos.blogspot.com

Abraços!