segunda-feira, maio 23, 2011

Dilemas de Mulherzinha

Olá!


  Nesse blog tem espaço para tudo! Afinal,não foi à toa que o batizei de DE TUDO UM POUCO! Aqui eu me indigno, dou risadas, comento notícias...Mas hoje vou falar de algo que eu nunca falei aqui: Dilemas de Mulherzinha! Não levo muito jeito para isso! Meu forte é a crítica contundente,mas enfim...Não custa tentar,né?! Pelo menos para dar uma variada!
  Antes de mais nada, vou reproduzir aqui um texto de Natalia Klein, publicado na Revista de Domingo do Jornal "O Globo", do dia 22/05/2011.



    Natalia Klein
       


   Onde se conhece alguém?
    
     "Em primeiro lugar, gostaria de deixar bem claro que não faço a menor ideia. Não sei o que se passa com os homens interessantes dessa cidade. Ao que parece, eles se escondem em algum porão secreto e, quando aparecem, já estão casados ou namorando. Ou, então, o porão é uma espécie de armário e eles saem de lá sarados e fãs da Lady Gaga. 
    Uma amiga minha, que considero legal e descolada, disse que conheceu o namorado dela num samba. Concluí que eu também poderia perfeitamente conhecer alguém interessante num samba. Exceto por um detalhe. Eu não sei sambar. Quer dizer, quando o lugar está bem cheio e escuro, finjo que sei. Tenho uma técnica infalível que consiste em mover os ombros e a cabeça como quem está sentindo a música e erguer as mãos com as palmas viradas para cima (de preferência durante o refrão quando também finjo saber as letras).     
   Mas como a técnica não inclui dançar em dupla, percebi que será bem difícil conhecer alguém interessante num samba. Talvez flertando num bar. Só não sei que bar. Aqui no Rio, só conheço bares com mesas para grupos de amigos ou casaizinhos. Ou grupos de amigos compostos por casaizinhos. E eu geralmente estou nessas mesas como representante do número ímpar. 
   De todo modo, é impossível flertar nesse tipo de bar. Primeiro porque não sei flertar. Quando eu fixo o olhar em qualquer coisa por mais de cinco segundos, meus olhos começam a arder e a lacrimejar. Dali a pouco o cara vai achar que eu estou chorando porque estou deprimida. 
  Também não sei ser sedutora/sensual. Não suporto mulheres que ficam mexendo no cabelo de maneira sexy. Talvez porque meus cabelos sejam cacheados e não me seja permitido ficar mexendo neles de maneira sexy. Na única vez que tentei fazer isso, meus dedos ficaram presos no meio do caminho porque os fios estavam embaraçados. É por isso que se for para conhecer alguém interessante, não vai ser nem num samba, nem num bar.
  Uma outra amiga minha, que eu também considero legal e descolada, disse que conheceu marido dela numa boate. Aliás, falando nisso, qual é o termo atual para boate? Acho boate muito anos 60. E discoteca é super anos 70. Afinal, qual o nome que se dá àquele lugar insalubre e lotado onde uma porção de gente desinteressante se reúne para beber e dançar ao som de músicas desagradavelmente altas? Uma terceira amiga minha, também legal e descolada, disse que o termo é para isso é night. Tenho certeza absoluta de que se for para conhecer alguém interessante não será nem num samba, nem num bar, nem na night.        
   Nossas amigas legais, descoladas e solteiras têm sempre alguém ótimo para nos apresentar. E eu sempre penso que se o cara fosse assim tão ótimo, as amigas iriam querer eles para elas. Já as legais, descoladas e comprometidas entram numa de nos apresentar os amigos dos namorados delas. Outra roubada. Se tem uma coisa que eu aprendi nessa vida é que amigo de namorado de amiga NUNCA é interessante. Eles são sempre meio carecas, gordos e cheios e opiniões irritantes sobre vários assuntos [ou têm algum desvio gravíssimo de caráter meticulosamente escondido por trás de uma máscara de bom moço.] Quando aparece um mais bacaninha, pode ter certeza de que é comprometido.
  Talvez as pessoas interessantes estejam no cinema. Ou numa exposição de um artista plástico incrível que eu não vou saber o nome porque não sou culta o bastante. Talvez essas criaturas estejam do seu lado e você não perceba. O.K., isso é totalmente mentira. Eu olho para os lados O TEMPO TODO e não vejo nada. 
  Ainda não descobri qual é o tal porão secreto onde os homens interessantes se escondem. Se alguém ficar sabendo, me conte. Até lá, triste admitir, poderei ser vista circulando pela cidade, provavelmente em sambas, bares e nights. Talvez até saindo com amigos de namorados de amigas. E sempre, sempre olhando para os lados."   Natalia Klein. Revista O Globo.  22 de maio de 2011.






       Bom, esse texto veio muito a calhar nesse momento! Eu sempre comento por aí com meus amigos, ou pelos blogs sobre relacionamentos, que os homens solteiros interessantes do Rio sumiram. E sempre os que aparecem, como Natalia mesmo mencionou,são comprometidos ou casados. Afinal, onde encontrar homens disponíveis?? Nem na "night" ,nem no bar,nem no samba,lugares "clichês" a meu ver! Vi uma garota falar no Facebook que um ótimo lugar para conhecer um homem solteiro e interessante é no supermercado! Será???



  
        Acho que vale a pena considerar o supermercado um lugar interessante,sim! Sabe por quê? O amor está onde menos se espera... Vai que lá na seção de absorventes você encontra um bonitão?! Ou escolhendo frutas?! Interessante isso!
        Fala-se muito sobre flertes no local de trabalho, de que deve-se ter muito cuidado.Mas pensem comigo: o local de trabalho é o lugar onde uma pessoa passa a maior parte do dia! Será que não tem ninguém interessante,que mereça ser visto com outros olhos?! Pode crer que existe um alguém,mas por medo(do chefe,de ser mandado embora,do que vão falar,etc) muita gente sufoca esses interesses! 
        Eu penso que,no ambiente de trabalho, podemos já de cara ver o caráter de uma pessoa
(coisa que preso muito em um parceiro!),ver como ele trata os colegas,se ele é responsável entre outras coisas! Basta saber separar as coisas! Nada de beijos e abraços no local de trabalho! Em compensação,se não der certo, você é obrigada a ver a cara do sujeito! Mas é um risco que se corre! Eu é que não deixaria de me relacionar com alguém do trabalho por causa disso! Melhor me arrepender por ter me arriscado do que por ter ficado chupando dedo!



                                             Nada de beijos e abraços no local de trabalho!


              Natalia também fala sobre encontrar homens interessantes nos cinemas e em exposições.Sinceramente e isso eu digo por experiência própria: os caras "cabeça" que vão ao cinema assistir a filmes "cabeça",que vão aos museus ver exposições "cabeça" estão SEMPRE ACOMPANHADOS de uma mulher "cabeça"! Aiiiiiiiiii!!!!!!
              Tá difícil,pessoal!  



                  Nas exposições "cabeça",os homens estão sempre acompanhados de mulheres "cabeça"!
    


     E então,mulheres?O que vocês acham? É tão difícil assim encontrar um homem no Rio ou eu realmente pirei,sou exigente,coisa e tal?! Homens do meu Rio! Apresentem-se e comentem!




                          

4 comentários:

Duda Weyll disse...

A relação a dois com compromisso de fidelidade é realmente importante para ti?

O amor a dois que hoje notamos como fundamental só nasceu com o feudalismo, antes as relações - digamos - oficiais eram meros contratos e as paixões eram resolvidas com um encontro apenas... Durante o feudalismo só os primogênitos masculinos podiam casar, portanto, os demais filhos, educados pelos melhores mestres, compunham lirismos exagerados acerca das mulheres intocaveis, de como desejavam "casar", viver pra sempre com elas, quando era só uma alegoria para a tentação física.

A procurar um homem condizente contigo, para dividir os teus anseios num vínculo de cumplicidade, não estaria apenas prosseguindo com o que culturalmente foi programado em ti?

Sissi disse...

Bem.. eu andei em todos esses lugares durante algum tempo... acaba q meu namorado ja me conhecia ha 12 anos.. e a gente se reencontrou em um jogo de RPG...
ser nerd as vezes vale muito a pena!

Felipe disse...

Mais difícil que encontrar homem interessante é achar uma mulher que dê uma chance ou uma brecha para um homem minimamente interessante.

pibex disse...

olha, se o problema fosse só no Rio tudo bem, mas não é um mal carioca não... moro em Brasília, e aqui é mais difícil ainda...