sábado, maio 14, 2011

Pussy Police Officer-a mais nova função do professor da rede estadual do Rio de Janeiro

Bom dia!

   Nem preciso colocar aqui o quanto nós,professores da SEEDUC-RJ,sofremos! Com o advento do glorioso Plano de Metas, passamos a ser humilhados! Esse plano veio para destruir a educação do nosso Estado,que figura em penúltimo lugar no IDEB. Mas essa destruição,em detalhes,será melhor explicada em um outro texto. O que falarei agora é sobre apenas uma das várias humilhações que nosso ilustre governador,o Senhor Sérgio Cabral,está nos submetendo.
   Essa semana,a coordenadora pedagógica da minha escola nos encaminhou via e-mail o seguinte texto:



"Alunas da rede Estadual do Rio de Janeiro vão ter que usar cinto de Castidade [plano de metas]

No inicio deste ano o governador do Estado do Rio de Janeiro fez um anuncio que investiria fortemente em educação e para isto mexeu na Pasta e colocou um secretario formado em economia que em pouco tempo elaborou um projeto educacional chamado: “Plano de Metas” no qual todos os diretores, professores, funcionários e alunos da rede Estadual precisaram cumprir para colocar o Rio de Janeiro entre os 5 melhores Estados da federação. O Plano que diz tocar em áreas essencias da educação vai desde a estrutura escolar até o alunato, passando por outras áreas importantes.
Lendo com carinho este plano de metas encontramos explicitamente que os professores receberam no final do ano uma bonificação que poderá triplicar o seu salario porém para que isto aconteça todos os professores deveram cumprir as metas e também nenhuma aluna poderá ter relações sexuais e ficar gravida! A meta estabelece que nenhuma escola da rede estadual, seja ela no horario diurno ou noturno, seja ela com um alunato composto por adolescentes, jovens, adultos, solteiros ou casados, poderá ter uma única pessoa gravida, pois por causa disto o "farol" da escola ficará vermelho e a escola e todo o seu corpo de professores não serão contemplado com o bonus de fim de ano.
Certamente para contribuir com este fantástico plano de metas a rede estadual de ensino deverá fornecer as alunas um cinto de castidade com senha que só o governador e o secretario de educação vão possuir, pois afinal de contas estas alunas podem esquecer e engravidar. Com certeza, considerando que vivemos hoje num mundo tecnologico, junto com este maravilhoso dispositivo (o cinto de castidade digital) haverá um GPS e um sistema de alarme que informará rapidamente a secretaria de educação e aos diretores do colégio que a respectiva aluna tentou violar o equipamento e ao mesmo tempo o local onde isto está acontecendo, para que uma radio patrulha possa ir imediatamente impedir tal ato.
A qualidade da educação do Rio de Janeiro, segundo o plano de metas do senhor secretario e do senhor governador, tem sido muito prejudicado por causas destas alunas que simplesmente resolvem ter filhos durante o período escolar e que por causa disto não permitem que os professores deem aulas de qualidade. A falta de sensibilidade e compromisso por parte destas alunas é a causa da falta de funcionários, da impossiblidade de melhoria financeira dos professores, da falta de ar condicionados nos colégios, da falta de segurança, da falta de material pedagógico para trabalhar com crianças especiais, da falta de quadras cobertas, etc.
Espero que as alunas da rede estadual tenham consciencia que por causa delas o Rio de Janeiro está em penultimo lugar no ranking da educação do país e que o governo do Estado está fazendo tudo que é possível para mudar este quadro e não permiti que elas envergonhem o Estado e prejudiquem financeiramente os profissionais da educação assim também como toda a estrutura educacional
Espero que planos educacionais brilhantes como este continuem sendo elaborados para que a educação do Rio de Janeiro possa chegar ao topo da lista!"

                                   Nossas alunas terão que usar um cinto de castidade!Até que ponto nós chegamos?!


            Minha opinião a respeito disso é a seguinte:

         O papel da escola é o de orientar! Independentemente de qual seja a nossa disciplina,acho fundamental falar sobre sexo com os nossos alunos,até porque,a maioria deles não tem espaço em casa para falar desse assunto! Agora,EU NÃO ESTUDEI PARA SER PUSSY POLICE OFFICER! Imaginem a cena:

"Eu pego meu carro e saio a noite fazendo uma ronda em lugares como bailes funk,motéis,"matéis", moitas,cantões e afins e se eu pegar um aluno meu quase lá,eu grito: NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOO! A ESCOLA VAI PERDER PONTOS! E O MEU BÔNUS NO FIM DO ANO?"

      Gente,me desculpem a expressão, mas o governador quer é F**** com a gente,nos obrigando a zelar para que nossos alunos não F****! Ou seja,o governador pode F***** a vontade com a gente,mas os alunos...

      Comentem!
      



15 comentários:

Carlos disse...

KKKKK! CARA QUE FILHO DA P***** ESSE NOSSO GOVERNADOR, JOGANDO PARA NÓS FUNCIONALISMO A RESPONSABILIDADE PELA FALÊNCIA DO ENSINO NO RIO DE JANEIRO.ISSO SÓ PODERIA VIR DE UMA MENTE CRETINA E MEDÍOCRE COMO A DELE EM SEU DESESPERO DE TIRAR O RJ DO PÉSSIMO RANKING NACIONAL DA EDUCAÇÃO. LAMENTÁVEL! FELIZMENTE NÃO VOTEI NESSE CRETINO.

Rennan Rebello disse...

Legal! E o próximo passo qual será? Vasectomia? Putaqueopariu, essa gestão Cabral...

Rennan Rebello disse...

Putaqueopariu... e qual seria o próximo passo, vasectomia coletiva?

Felipe Gomes disse...

Gente, isso é mentira. Calma lá também, deve ter sido um SPAM ou alguém que invadiu a máquina da pessoa que mandou esses e-mails.

Essa coisa de cinto de castidade não existe, vocês também acreditam em casa coisa... Por isso vivem estressados...

alice disse...

Hehhehe... Colegas, vocês estam preocupados com esse blá blá?? Sinceramente, Tô nem aí pro seu Cabral, aliás, não tô nem aí pra nada da Secretaria Educação do Estado do Rio de Janeiro, pois é uma grande piada. Como não rir do Saerjinho. O que foi essa exigência de fazermos também essa prova. Estou aguardando ansiosa para saber o que vão divulgar sobre isso: " Os professores tb não conseguiram fazer a prova..blá blá". Quero ver em que "cu" ele iram enviar 65 mil professores incapazes..hehhee.
Acredito no meu trabalho, faço o meu melhor, e acima de tudo acredito na força de transformação que temos em mão... O resto é o resto que de 4 em 4 anos moda o maluco que tem um monte de otário para bater palma.

Diógenes Ferreira disse...

O problema é maior do que se imagina, porque o que esta em jogo é o aprendisado real e não o cumprimento das tais metas. Ou seja, a todo custo, faça o que puder para que as metas sejam cumpridas e as reais condições para que isso aconteça, como a reciclagem dos professores ou até mesmo a motivação desses mestres n]ao são pensadas, apenas repaginando uma politica antiga e ultrapassada...

A perguntaa é: O que vamos fazerw

Felipe disse...

Se isso tudo fosse na China, eu até relevaria...

Camila disse...

PQP ... O cabral eh um completo asno mesmo !!!!! Que palhaçada isso hein !??!? Nem sei o q dizer ... =P

DE TUDO UM POUCO disse...

Felipe Gomes:

Isso não é mentira! Entre no site www.educacao.rj.gov.br e você verá!

O CINTO DE CASTIDADE é uma metáfora! Leia o texto novamente tendo em mente isso!

Não somos estressados!Eu,pelo menos,não! É muito fácil falar! Não é pra qualquer um encarar 45 adolescentes ou mais numa sala de aula!Ainda mais no Rio de Janeiro!

J.L.Tejo disse...

Caramba. Fiz o 2º grau todo em escola da rede pública estadual, aqui no Rio.

Anos depois, pelo que vejo foi de mal a pior =(

Marga Canabarro disse...

Colega...
Agora fiquei preocupada!
E se essa moda pega aqui no RS também?
Já não temos tarefas suficiente para desempenhar?
A função de Professor está cada vez mais comprometida, ensinar que é bom não é mais necessário?
Tens minha solidariedade. Isso é um absurdo!
Também estou divulgando este disparate do governo do RJ.
Abraço.

Duda Weyll disse...

Qual estrutura e método a rede pública de educação do Rio atribui à educação sexual? Ademais, qual estrutura e método o Estado do Rio atribui ao planejamento familiar?

Além da interrupção educacional que a gravidez precoce traria (que acredito ser o único motivo aplicável: wtf incluíram adultos nessa medida?), considero que uma das principais fontes do crescimento social desordenado das metrópoles brasileiras seja a "despreocupação" do Estado com um controle de natalidade rigoroso, mas ainda assim penso que não é criando sanções a A ou B que resolveria, seria melhor um projeto interessante de planejamento familiar e educação sexual (que não rende votos, pois a sociedade é em maior parte judaico/cristã e, também, apesar dos pesares, "assustada" com certos assuntos).

Alexandre Campos disse...

leva um suco bem gostoso e geladinho pra sala de aula com bastante anticoncepcional dissolvido e oferece pras meninas.
diz q é cortesia de tia gabriela, sei lá.

Denise disse...

Não é possível... Nossos políticos se superam [negativamente falando, óbvio] a cada dia que passa... afffff!!!

Florzinha disse...

O que mais me deixa P da vida é ver que esse descaso com a educação vem , na verdade, de casa. Os alunos vão à escola quando querem e os pais só ficam preocupados de seus filhos estarem fazendo merda em casa no horário em que estariam na escola.
Quer ver um exemplo: na semana anterior ao carnaval, uma aluna minha faltou duas aulas seguidas. Pensei: deve estar doente, vou ligar para saber. Liguei. A mãe dela atendeu e disse que a bonitinha não ia naquela semana pq era carnaval então ela já estava se adiantando. Eu liguei na quarta-feira antes do carnaval. E isso não foi na escola do estado nem do município, foi numa instituição particular. Se os pais não dão a mínima para a educação (aliás, deveríamos ter duas palavras distintas para as Educações distintas) dos filhos, ele nunca vão dar a mínima para nossas aulas.
Outro exemplo? O consultor de vendas de um curso onde trabalho ligou para um aluno e o pai dele atendeu assim: ah, liga mais tarde porque eu não me envolvo na educação dele não. Essas coisas é só com mãe dele, tá?
Como pode um ser humano desse querer ter alguma autoridade sobre seu filho?? Pois respeito à autoridade se aprende em casa. Eu não sou obrigada a dar uma Super Nanny com os filhos dos outros. Mesmo assim é o que faço muitas vezes. Porque os pais querem se eximir da responsabilidade de educar seus rebentos, o Estado, é claro, afetado com os resultados disso, resolve nos dar o "privilégio" de ser pais dos filhos alheios. E agora, ainda temos tomar conta da vida sexual de nossas alunas. Tenha santa paciência!
Nenhum professor ou professora nunca precisou me dar esse tipo de orientação porque eu tive em casa.
Porque então, se é dever do Estado, representado em nós, professores, cuidar para que as alunas não tenham bebês durante o período escolar, não se implanta uma política de planejamento familiar? Por causa dos religiosos? Lembre que nenhuma instituição religiosa sustenta o filho de ninguém, nem providencia famílias para as crianças que são abandonadas. Isso fica, teoricamente, a cargo do Estado, portanto, o maior interessado em planejamento familiar.
Mas, aí, se as pessoas têm poucos filhos, as salas de aula terão menos alunos, e as aulas serão mais eficientes, e as pessoas serão, de fato, educadas e se tornarão cidadãs.
Êpa! Cidadão pensa, e analisa, e vota. Não, não queremos cidadãos. Queremos pessoas que votam em troca de cesta básica e ruas asfaltadas. Vaquinhas de presépio que votam pensando nos seus próprios interesses e não do coletivo. É isso que queremos, então planejamento familiar não é legal. Vamos deixar tudo de errado na conta dos professores, eles já são grevistas vagabundos mesmo.
Só que quando o professor faz greve, não é porque ganha mal, necessariamente. Considerando o salário mínimo que temos, eu acho que não ganho tão mal. Mas no edital do concurso, ou no contrato de trabalho, vem a descrição das atribuições do cargo. E não diz lá que a gente tenha que ensinar o aluno a dizer por favor e obrigado. Não diz que temos que vigiar as estripulias sexuais de nossos alunos. Isso é tarefa para os pais (bem como a discussão sobre orientação sexual, mas é outro assunto). Nos passar essa atribuição é desvio de função, o que é proibido. Acontece que fazemos muito mais do que deveríamos, porque as escolas se tornaram depósitos de crianças. Vejo crianças de 3, 4 anos que saem da escola, vão pro inglês, natação ballet e judô. Chegam em casa tarde e aí as mães não têm nenhum momento para saber como está de fato o comportamento do filho, pq quando nos perguntam, e dizemos, elas respondem: mas em casa ele não é assim, não, é só na escola.
Claro, seu filho mora na escola e quem "cria" ele é o professor, o inspetor a "tia" da cantina. Me pergunto com que finalidade essas pessoas têm filhos, só para ganhar presente do dia das mães.
Uma coisa é certa. Quando tiver filhos, ou vou estar muito craque, ou não vou ter a mínima paciência de tanto que já eduquei filho dos outros.