quarta-feira, novembro 09, 2011

A Essência e a "Parecência"





Boa noite!

      Uma das coisas que mais me incomodam na vida, além de analfabetismo funcional, fofoca, racismo, falsidade, futilidade, entre outros itens, é o fato de uma pessoa querer parecer ser aquilo que,de fato, não é.
 
      É triste pois,se pararmos para analisar,trata-se de um grave problema de baixa autoestima: se quero parecer ser aquilo que não sou de verdade,deve ser porque não sou "coisa legal", "interessante",entre outras coisas. Tudo depende de uma questão de ponto de vista: o que é "cool" para mim,pode não ser para a maioria dos mortais e vice-versa.Darei um exemplo clássico,que tem a ver diretamente com a minha própria realidade: muitos amigos e parentes meus nutrem o sonho de morar na Barra da Tijuca (VEJAM BEM: SOU TOTALMENTE A FAVOR DE QUERERMOS MELHORAR DE VIDA,TERMOS GRANA PRA VIAJAR,COMPRARMOS CARROS,ENTRE OUTRAS COISAS,AFINAL,NÃO VIVEMOS EM UMA SOCIEDADE DE CASTAS,NA QUAL SOMOS FADADOS A TERMOS A MESMA CONDIÇÃO FINANCEIRA DESDE QUE NASCEMOS ATÉ O DIA DA MORTE!) Não é disso que estou falando! Muito pelo contrário. Admiro as pessoas que trabalham com o objetivo de comprarem uma boa casa,carro,entre outras coisas.Na verdade,estou falando de algo mais profundo,que tem a ver com a nossa essência, pois tem gente que quer "parecer" rica, se endivida comprando roupas de grife e almoçando e jantando em restaurantes caríssimos,tudo isso num esforço de querer "impressionar" aqueles que os cercam.Além disso,morrem de vergonha de onde realmente moram e chegam até a mentir(por exemplo,falam que moram na Barra,enquanto moram no subúrbio,como se isso fosse a pior coisa do mundo), fingir ( que gosta de caviar,por exemplo,enquanto na verdade preferem uma boa macarronada com carne moída), tudo para que as pessoas se convençam de que ele é aquilo que parece ser! Chegam, inclusive,a fazer amizades por puro interesse,para se darem bem! As novelas e filmes geralmente abordam esse tema. Atualmente,temos a novela "Fina Estampa"(da Rede Globo), na qual o personagem José Antenor, interpretado pelo ator Caio Castro, é um exemplo clássico do tipo pessoa sobre a qual estou falando aqui.




Caio Castro interpreta José Antenor,na novela "Fina Estampa"
                               



      Na Revista do O Globo, do dia 23 de Outubro desse ano,a colunista Martha Medeiros escreveu sobre isso.O título de sua crônica é: "Pareço,logo existo". Poderia,através desse título,inferir que muita gente acha que não existe na realidade e,para "existir",precisa antes "parecer" ser algo,digamos, "interessante".Vou compartilhar essa crônica aqui com vocês:







           Eu sempre fui do tipo de pessoa que não dá importância ao que os outros pensam de mim.Sendo assim,nunca precisei da aprovação de um grupo ou de uma pessoa,parentes,etc. Querem gostar de mim,que gostem do jeitinho que eu sou! Não gosto de parecer ser algo que não sou,só para impressionar.Realmente,não faz o meu estilo,hahaha! Infelizmente,muita gente não pensa assim: sofrem com a baixa autoestima e a "PARECÊNCIA" acaba sendo mais importante do que a "ESSÊNCIA".Nega-se a si próprio em prol de status, "amigos" e de ser aceito.
            Para concluir, uma dica( pois não sou a dona da verdade):

    Se você se sente tentado a "parecer" algo que não é de fato,pare e pense: quem sou eu,afinal? Do que eu gosto? Como eu me sinto? Quem são as pessoas com as quais verdadeiramente gostaria de conviver? Depois dessa reflexão,se ainda assim não conseguir se autoafirmar,se impôr, procure um psicólogo. Antes de mais nada,APRENDA A SE ACEITAR.O dia em que isso acontecer,as pessoas que lhe cercam vão passar a gostar de você como você realmente é E VOCÊ NÃO VAI PRECISAR SE "VENDER",SE "NEGAR" EM TROCA DE APROVAÇÃO. E se,ainda assim,não te aceitarem do jeito que você é,AFASTE-SE DESSE TIPO DE GENTE:amigos de verdade nos querem como realmente somos!




Um abraço!


Gabriela

5 comentários:

Rennan Rebello disse...

Conheço muita gente assim e me divirto. Pois choro de rir dos pleipobres e das patreSSinhas que dão a vida para comprar um tênis ou uma maquiagem.

Enfim, cada um se FODE a sua maneira. O que podemos fazer? Aplaudir? Não! Vaiar? Para quê? E então só o que nos resta é debochar.

Curti o artigo.

Noise!!!

Florzinha disse...

Esse carinha da novela merece uma surra por fazer aquilo com a mãe!

E é justamente esse tipo que mais me incomoda. Sei lá, nem todas as pessoas serão ricas um dia e acredito em viver com aquilo que se pode pagar. Acho que tem coisas muito mais plausíveis ou que eu levo mais tranquilamente, tipo fingir ter mais conhecimento do que tem, até me divirto com isso. Mas gente que finge ter dinheiro, que finge gostar de coisas só pq alguém sei lá de onde disse que era fino??? Isso eu acho o cúmulo da auto-insatisfação! E é feio mesmo,a pessoa vai querer usar e fazer coisas com as quais não ficam à vontade só pra "fazer vista" (essa expressão é da minha avó) pros outros e a pessoa acaba sendo um caricatura entre o que ela é de fato e o que ela quer que os outros pensem que ela é.

J.L.Tejo disse...

Como diz Marx: "A desvalorização do mundo humano aumenta na razão direta da valorização do mundo dos objetos".

Ter importa mais que ser; pior ainda quando se finge que se tem.

Zélia Cunha disse...

Gabriela,
Passando por aqui para desejar um ótimo início de semana para você!
Sou o que sou, com meus erros, acertos, uma pessoa que sempre lutou para conseguir um lugar ao sol, nunca dependi de favores, por isso me orgulho do pouco que tenho e não preciso mais do isso, pois quando eu fizer a viagem... nada levarei. O que me vale são a amizade e o carinho daqueles que cativei.
=D
Beijos

Bruna - @santosbruna disse...

Dois exemplos disso...

1) Uma amiga estava flertando com um carinha de outra cidade, eles estavam marcando de se ver, ele perguntou se ela tinha carro. Ela fez-se de desentendida, pois ficou com vergonha de admitir que não tinha carro, pois quem não tem um carro velho é muito f-u-d-id-o. Ainda me disse que quem não tem um hoje em dia não tem pernas!!!! Confesso que fiquei chocada! Como pode alguém pensar assim.

2) eu estava almoçando e duas amigas almoçavam na mesa ao lado. Uma se queixava com a outra de não ter namorado e da dificuldade em encontrar um. A amiga dela tentava consolá-la (bem dentro do que vc disse no começo do post, algo como 'fica assim não, vai aparecer alguém'). Foi quando a menina começou a dizer o porque de não ter ninguem: ela não tinha carro e nem dinheiro pra ir de táxi pra zona sul, como ia encontrar o cara, porque se fosse pra ir de onibus ela nem iria, não tinhas roupas de tal e tal marca, não ia sair com roupinhas de outro lugar, não é independente, pois o salário dela é inferior a 1500 reais.. enfim .. sengudo ela, ia ficar solteira pra sempre! A amiga dela estava com umacara engraçadíssima, estava chocada diante de tanta aberração. rsrs
Agora você ver o quanto o ter prevalece sobre o ser em algumas pessoas.