sexta-feira, outubro 31, 2014

Professores: seus vícios e virtudes

Todo mundo tem defeitos. Os professores não são diferentes!
  
                          





      Não são poucas as pessoas que têm a visão de que magistério combina com sacerdócio. Um professor abnegado, super dedicado e que não faz mais nada além de lecionar: na cabeça de muita gente, é assim que um bom professor deveria ser!
      O curioso disso tudo é encontrar professores que também compartilham dessa mesma visão. Ao se depararem com colegas que possuem vida além da sala de aula, esses professores-sacerdotes querem consertá-los a qualquer custo! São repreensões de lá, daqui... dizem que "certas coisas pegam mal para um professor", etc. Eu sou alvo dessa gente, acreditem! Mas é aquilo: eles pagam as minhas contas?! No!
      Para quem não sabe, atuo como professora de inglês (PI) em duas escolas públicas, sendo uma de Fundamental I e a outra de Ensino Médio. São dois ambientes distintos, com seus prós e contras. Em relação aos alunos, no Fundamental I eles são mais calmos e mais fáceis de lidar. No Ensino Médio, a falta de educação reina!
     Já em relação aos professores, existem diferenças gritantes entre os que atuam em escolas de Ensino Fundamental I e Ensino Médio. Nas escolas de Fundamental I(antigo primário), 99% dos professores são mulheres. Então, meus caros, se forem aquelas que já passaram da época de se aposentarem... Vixe!! São pessoas, em sua maioria, amargas, rancorosas, fofoqueiras e invejosas! A pessoa que vos escreve já virou artista na arte de conviver com mulheres amarguradas! Nessas escolas, os professores PI (aqueles que cursaram faculdade, não ficam direto com a mesma turma - como as PII- e que lecionam Artes, Língua Estrangeira e Ed. Física) sofrem, sendo alvos constantes de intrigas, comentários maliciosos e altos níveis de recalque! Isto é, mesmo estando todos em prol da educação (embora eu tenha lá as minhas dúvidas a respeito disso!), elas, ao invés de se unirem aos PI's, preferem fazer uma espécie de querela, disputando as turmas entre si! Desperdício total!
       Já os professores que atuam no Fundamental II e no Ensino Médio são todos muito legais, gente boa, amigos, unidos...Até você não aderir a uma greve! Experimente declarar em alto e bom som que não fará greve e espere para ver o que vai te acontecer: amizades desfeitas, você vai ser chamado de "pelego", "coxinha", "reaça", "fascista"(eita, banalização!) e afins! Eu também já fui alvo deles! E o que dizer das discussões em fóruns de professores do Médio no Facebook?! Nem vale a pena perder tempo com gente radical, que não sabe discordar educadamente! Só o que eles pensam é o certo e ai de quem disser que não é bem assim, que há outras visões além dessas apresentadas e tal. Aliás, diga-se de passagem, comportamento esse bem semelhante ao dos fascistas, né!? Mas na cabeça deles, fascistas são os não-radicais! Cês tão tudo precisando estudar, fessores!
       Como vocês puderam ver, professores não se aborrecem apenas com alunos,mas também com colegas inconvenientes! E não, gente! Não são todos os professores que se comportam desse jeito! Há muita gente boa no magistério, que pensa por si próprio e que tem peito pra discordar da "manada"! Tem muita gente que respeita o direito de o colega não fazer greve e tem muitas PII maravilhosas, que estão sempre colaborando com os PI's! Essa crônica não tem a intenção de generalizar uma classe! Eu, como professora PI, quis apenas mostrar que somos seres humanos como quaisquer outros, com qualidades e defeitos! Essa imagem de professor-sacerdote precisa cair por terra e já!
         E eu estou na "cena" educacional há 7 anos, sempre remando contra a maré. Como diria o poeta Cazuza, "Dias sim, dias não, eu vou sobrevivendo sem nenhum arranhão da caridade de quem me detesta". E sigo enfrentando tubarões, gaviões, hienas, baleias, cobras, lagartixas e o que mais a fauna e a flora brasileira puserem no meu caminho!
      

2 comentários:

Rennan Rebello disse...

Pura verdade! Já me deparei com professores assim e por onde passei, eram a minoria. Parece que não viveram e não deixam seu semelhante viver diferente da sua maneira.

Me lembrei também dos alunos quando encontram seus professores por alguma casualidade fora da escola, tipo como praia, shopping, Maracanã e etc. "Espantados" perguntam: "Professor!!! O senhor por aqui????" hehe e quando estão acompanhados dos pais, parece que eles ficam vigiando os atos do mestre fora da escola.

Acho que o professor é muito exposto, vitimizado, cristalizado, santificado, criticado, deturpado. Em suma, somos reféns desse paradoxo, o que nos resta é sermos PROFESSORES ou seja, procurar ser diferente e nunca igualar-se ao padrão.

Adelson Paulino disse...

Concordo plenamente com você, mas infelizmente esse quadro não se passa só na área pedagógica , trabalho em um órgão do Estado e se passa esse mesmo Filme, funcionários aposentados que são sempre do contra e outras ainda não aposentados mas com o mesmo pensamento medíocre, não pretendem se qualificar mais, te criticam ao ver você ingressando em algo e por aí vai. Adorei a sua Colocação "pelegos", também escuto isso e outras cositas mais .
Força , foco e muita Fé .